O Gato Ticas, nos Trilhos do Ventor

O Gato Ticas na Rota de Apolo

Bem-vindos aos Blogs do Ticas, este vosso novo amigo na Blogosfera

Bem-vindos aos meus Blogs e aos do Quico e do Ventor!

Pilantras - o Ticas
Caminhando com o Ticas, caminham sempre com o Quico e com o Ventor
A Grande Caminhada do Ventor, Pelos Blogs do Quico e do Ventor
E agora com os Blogs do Ticas, continuamos todos a caminhar juntinhos
O Ticas nos Trilhos do Quico: observo o Ventor por todos

O Fotoblog do Pilantras: recordarei sempre o Quicas

Pilantras - o Ticas: recordarei sempre o Quicas

Venham connosco. A Grande Caminhada nunca acaba!
Junho 27 2013

... e o Verão já caminha há cerca de uma semana.

O tempo não é perfeito e não chega para tudo.

 

Para mim, o tempo é uma desgraça! Aqui, sentado ou deitado, no Miradouro que já foi do Quico e agora é meu, olho a copa das árvores e pouco ou nada vejo. Tem sido assim toda a Primavera!

Os pássaros sobem e descem as árvores, saltitam de ramo em ramo e eu a ver.

 

 
A carricinha do Ventor
 
 
Sempre atenta ao que o Ventor fazia 

 

Os cães, atrelados ou soltos, caminham na relva, a relva que era minha e onde eu era rei.

Às vezes distraio-me e adormeço. Quando acordo dou com o Ventor a fotografar as flores do jardim, os patos, as rolas turcas, a família Tobias, sei lá ...

Ontem ele pegou na máquina, desceu as escadas e, eu fui logo a correr para o Miradouro. Até me assustei. Mesmo coxo, andava num reviranço, a tentar fotografar estorninhos. Depois foi para o rio e nunca mais de lá saia! Andava atrás de um passarinho pequenino que ele diz ser uma carricinha ou, então,  a ver as rolas turcas a descascarem-se para tomar banho. A família Tobias também queria mas, com o Ventor por perto, a madame Tobias não conseguia arregaçar as penas das coxas para entrar na água.

Eu só a ouvia gritar: "Tobias, pede ao Ventor para ir embora, senão não tomo banho hoje"! Espreitei por entre os choupos e lá estava ela, econdida entre a folhagem de outro choupo, nas margens do rio. O Tobias, todo desengonçado, dentro de água, só se ria.

 

 
As Verónicas, no campo das flores tão semelhantes à carricinha. Minorcas!

 

Mesmo assim, o Ventor decidiu-se por sair de lá mas viu viu umas flores azuis, muito pequeninas, entre a relva do jardim e decidiu fotografá-las. Esteve ali, de rabo para o ar, de máquina na mão e a madame Tobias num sufoco.

Por fim, lá apareceu o Ventor, em casa, com a máquina cheia de flores e animais para eu me entreter.

Mas o que eu queria, era pisar a relva!

 

 
Outras flores tão minorcas como as verónicas. O Ventor não sabe o nome destas e eu não estudei botânica. Mas se o Ventor descobrir, eu colocarei aqui

 

Vocês já ouviram falar num arnês? O Ventor disse-me que ia comprar um arnês para me levar com ele. Diz que se vai estar nas tintas para a Vet. Ela recomendou-lhe que não me levasse à rua por causa das doenças e das pulgas, ... isso eu ouvi!

Mas eu tenho tantas saudades de pisar a minha relva! De desafiar os cães para uma corrida. Eu penso que vocês sabem que a boa vida não interessa a ninguém e, muito menos, ao vosso amigo Pilantras. Estou tramado!

 

Já passou o Inverno, a Primavera, e já caminho pelo verão fora e eu, sem pisar a minha relva. Só a vejo!

 

publicado por Pilantras às 23:46
Tags:

Junho 15 2013

Desta vez calhou ao Ventor comer as sardinhas de Santo António, pelos sopés da serra da Arrábida.

Mas não foi só pelo Santo António. Foi pelos seus amigos, pelas flores, pelos sobreiros, pelos caminhos de terra batida, pelo sol, pelos fetos, ... Sim, pelos fetos! Fetos? Bem, para mim, também os conheço mas, para o Ventor, os fetos são seus companheiros desde o berço. Ele, já me disse que sabe que os fetos podem ser um estorvo em determinadas circunstâncias mas, tudo tem o seu valor, até os fetos!

 

 
Flores de S. João, "botões azuis, botânicamente, "jasion montan, L.", nos sopés da serra da Arrábida

 

Os fetos deverão existir por muitas latitudes, diz ele. Diz que, no Brasil, os tupis (indígenas brasileiros) chamam-lhe simambaias e, isso, significa que também há fetos no Brasil. Ele também já me disse que começou a observar os fetos nas suas Montanhas Lindas, lá pela Açoreira.

Contava-lhe a sua mãe que, com poucos meses de vida, dormia à sombra de fetos, junto ao muro do Curral enquanto seu avô enchia os cestos do esterco das vacas que as mulheres transportavam para as lavouras e, uma cobra, saída dos buracos do muro, cheia de inveja, com o cheirinho a leite, foi deitar-se ao lado do Ventor, entre os fatelos. Como o Ventor não gostava daquela coisa fria e escamuda, junto de si, desatou num berreiro e seu avô foi ver o que se passava.

 

Seu avô pegou na cobra e espetou-lhe com a cabeça contra o muro, matando-a. Seria a primeira vez que o Ventor terá tido responsabilidade indirecta por uma morte. Se calhar, terá sido por isso que o Ventor, até aos seus 15 anos, foi o terror das cobras, dos lagartos e de todos os animais rastejantes e não só. Como o Ventor ainda choramingava, seu avô tirou um grupinho dessas flores de entre os fetos e começou a brincar com o Ventor, fazendo-o rir.

 

Mas, voltando às fraldas da Arrábida, os fetos ofereceram ao Ventor as suas flores lindas de criança - as flores de S. João. Foi assim que a sua mãe o ensinou a chamar-lhe. Isso porque, segundo ele julga, elas apareciam sempre por alturas do S. João. Daí o nome de flores de S. João. Mas hoje, eu dei uma ajuda ao Ventor e, os dois, descobrimos o nome botânico das suas lindas florezinhas azuis - Jasion Montan, L., e que há pessoas que lhes chamam "botão azul".

 

 

Saídas de entre os fetos elas saúdam o Ventor

 

No dia de Santo António, deste ano, 13 de Junho, o Ventor fez a terceira grande festa às "Jasion Montan" - os botõezinhos azuis. Quando o Ventor saiu da sua terra, nunca mais viu os tais botõezinhos azuis que ele apanhava para dar à sua mãe. Como caminhava sobre alcatifas, era natural que não houvesse, pelos seus trilhos, "jasion montan". Apareciam flores sim, mas em jarras! Flores lindas dos jardins e das explorações comerciais que nada tinham a ver com as flores silvestres que ele conhecia. Um dia, na serra de Monchique, no Algarve, descobriu as suas florezinhas de S. João.

Quando ia de visita à sua terra, já as flores tinham desaparecido. Um dia, caminhando pelos Picos da Europa, deparou-se com as suas flores lindas e o Ventor esqueceu tudo. Dedicou-se às suas flores lindas. Agora todos os anos que vai a Adrão, tem sempre a visita das suas flores preferidas.

 

 
Mas na Arrábida há muitas belas flores como esta centáurea rosa

 

Pela Galiza, por todo o Minho, Adrão, Peneda, Castro Laboreiro, Soajo, por todos os caminhos, basta olhar os socalcos como há 50 anos atrás e lá estão os botõezinhos azuis, gritando alto: "olá, Ventor"!

Foi assim este dia de Santo António. Do meio dos fetos, todos em uníssono, gritaram "olá, Ventor"! Foi uma surpresa que o Santo António quis fazer ao Ventor! Santo António sentia ciúmes da amizade do Ventor pelo S. João e sabia que as florezinhas azuis tinham a ver com isso. Este ano antecipou-se e pediu às "jasion montan" para saltarem do meio dos fetos e saudarem o Ventor. Assim, o Ventor, as "jasion montan" e o Santo António festejam juntos, sob a luz e o sorriso do seu amigo Apolo as fores azuis que também mostram as suas belezas entre os fetos e os sobreiros dos sopés da serra da Arrábida. 

 

 

publicado por Pilantras às 09:47

Junho 11 2013

Na floreira da Amadora, os amigos do Ventor, Zuzu e Margarida, voltaram a criar, nova rapaziada, este ano. Eu não os vi mas o Ventor diz que são incríveis!

O Ventor, ontem, no Dia da Raça, não será raça de gatos, com certeza, eu nunca percebo este gajo! Dizia eu, foi ele que me disse, foi levar os seus amigos do Norte apanhar o comboio para casa. No regresso, voltou a passar pelo bairro dos Falcões da Floreira. Diz que foi só um desviozinho!

 

Encostou o carro e encontrou um deles sobre um prédio, ao lado da chaminé. O falcão começou a mirá-lo e ficou por ali, sempre com o olho no Ventor. Virou-se para o Ventor e, com biquinho de malandro disse-lhe: "vais-te roer todo, Ventor, para me tentares apanhar a anilha e identificar-me"! O Ventor chateou-se com ele! Achou-o malandreco e disse-lhe: "é melhor que te cales senão, quando o meu amigo Zuzu aparecer por aqui, ainda levas uma tareia e vais aprender à tua custa".

 

 

Uma das belezas da floreira, observando o Ventor

 

Aquilo não atava nem desatava. O Ventor manteve-se dentro do carro e, com uma grande soneira, ia adormecendo. Ele olhava e via um aqui, outro acolá, pelos telhados. Haviam três a observar o Ventor e o Ventor a eles. De repente, do meio das chaminés, saiu a Margarida a desafiar os filhotes para uma sessão de caça. O Ventor ficou alarmado com o burburinho! Apontava a máquina para todos os lados. Uns pela esquerda, outros pela direita, por entre as chaminés e a sessão falhou! Mas a coisa não ficou assim! Vindo das alturas, apareceu o papá Zuzu e desencadeou um arraial ainda maior. O malandreco voou sobre o Ventor e foi ter com o Zuzu mas, ele e outro voltaram para os telhados. A Margarida arrancou com dois e começaram a peneirar os ares dizendo: "vamos lá filhos, mostrem ao Ventor como se faz e como são desembaraçados"!

 

 

 

Um deles peneirando o ar, nos céus da Amadora, procurando caça. Náo tarda muito, será cada um por si

 

A Margarida tirava-os do torpor em que se encontravam. Veio o Zuzu com outros dois e um dos da Margarida regressou às chaminés. Ficaram cinco a peneirar o ar para o Ventor observar. Zuzu,Margarida e três filhotes aterrorizavam os arrabaldes. Tudo fugia. "Não há nada neste matagal - diz o Zuzu - vamos procurar espaços abertos". Dirigiram-se para lá do IC 19, para a Academia Militar. Diz o Ventor que, dos confins do espaço, o Zuzu gritou que já voltavam.

 

Os doi cansadinhos das chaminés, ficaram para trás, um pouco ensonados. Mas quando viram o grosso da família de abalada, decidiram-se por ir atrás deles. No entanto, ainda mostraram ao Ventor como também sabiam peneirar o ar.

 

 

Este está de olhos nos olhos com o Ventor. Eles são mesmo belezas deste mundo

 

O Ventor dirigiu-se para o carro e arrancou mas encostou do lado esquerdo porque um tinha voltado para trás e gritou: "não vás já embora Ventor que vamos voltar já. Vamos só arranjar lanche"!

Entretanto, chegou um senhor num carro e perguntou ao Ventor o que andava ali a fazer de máquina em punho. "Eu estava a tentar aprender a voar para acompanhar aqueles mas não consigo. Apetecia-me ir com eles e fazer a reportagem de uma caçada"!

 

O Ventor é maluco mas apareceu outro maluco pela frente. O homem disse-lhe que foi sargento na guerra de Angola e que lhe pegaram pelos colarinhos e o obrigaram a especializar-se em minas e armadilhas. O Ventor perguntou-lhe se se deu bem com essa nova tarefa. "Ah pois não! Que acha! Nunca bebi tanta água na minha vida e não era pelo calor. Transpirava tanto"!

 

Cada um tem as suas tormentas na vida e eles ficaram a falar delas durante mais uma hora. Quando a família Zuzu regressou, acabou-se a conversa! O Ventor meteu os olhos no ar e desistiu de fotografar. Os seus amigos ficaram a fazer passagens baixas por cima deles e o Ventor ficou extasiado observando o céu da Amadora. Depois veio para casa e contou-me tudo.

 

publicado por Pilantras às 19:01
Tags:

Olhai os Cravos
Porque deixamos morrer os cravos?
Os Penudos do Ventor

O Ventor, tal como sempre, continua a caminhar bem junto dos seus amigo. Neste caso, alguns penudos.

São uma beleza, estes amigos do Ventor.

veja como Slideshow

Caminho aqui, com o Ventor e os filhos do Sol

Playlist de Músicas que me contam histórias, no Portal Quico Ventor

Veja, neste link, como o Pilantras apareceu na vida do Ventor

O "Ticas" nos Trilhos do Ventor

O mundo é uma complicação

Seja o mundo dos homens, seja o mundo dos animais, quando uns tentam descomplicar, aparecem outros logo a complicar mais.

A conclusão que eu já tirei, desde que estou junto do Ventor, tem sido isso.

O Ventor diz-me que a complicação, de momento, está em tudo mas, o pior está a ser a austeridade. O Ventor diz-me que não posso estragar nada, senão não vai chegar para os meus amigos. Ele diz-me que temos de partilhar com todos os vira-latas que vão procurando comida por aqui. Essa eu aprendi porque, essa, foi a minha escola - a austeridade!

Por isso, para tentarmos saber os males, desde a raíz, aceitei dedicar-me a observar a História. Daí, procurar coisas novas e seguir a O Ventor e o Passado pelos trilhos que o Quico seguiu e ver tudo o que ele escrevia sobre o Ventor em África. Não vou deixar, tal como fez o Quico, que o Ventor esqueça a África. Também tentarei penetrar nos velhos trilhos da Os Trilhos da Memória. Ele continua a caminhar por aí!

As minhas Músicas no Youtube
**********************************************************

Uma Flor de Adrão

As flores, como me diz o Ventor e o Quico dizia pelos seus Blogs, como tenho visto, são maravilhas deste mundo. O trabalho que nos apresenta as belas flores, é feito pelo nosso amigo Apolo, e com as benesses do Senhor da Esfera.

Para me falar das flores, como estas que há aqui pelo nosso jardim, o Ventor apresentou-me esta beleza azul. O ventor desencantou-a num sítio da serra de Soajo, a que as pessoas chamam Corga da Vagem.

Reparem bem nesta flor! Diz o Ventor, tal como terá dito ao Quico que dentro desta flor está a sua mãe com ele ao colo. Reparem na zona escura, dentro das pétalas!
**************************************************************

Links dos nossos Blogs

Os Blogs do vosso amigo Pilantras
Pilantras - o Ticas - O Ventor, chamou-me, na minha caderneta, Quico Pilantras, mas no dia a dia, quando manda vir comigo, se faço uma coisa mal feita, chama-me Pilantras e se está bem disposto, chama-me Ticas!Aqui, tentarei falar-vos de tudo, um pouco.
Pilantras, nos Trilhos do Ventor - Aqui, vou tentar acompanhar o que o Ventor vai fazendo durante o decorrer da sua (nossa) vida. Não pensem que vai ser fácil!
Pilantras, nos Trilhos do Quico - Neste blog, irei, aos poucos, tentar acompanhar os meandros em que o Quico se metia. Darei continuidade à sua Grande Caminhada e, através dela, tentarei falar de males da História, que sempre apoquentarem o mundo.
O Fotoblog do Pilantras - Por este Blog, farei, com o tempo, passar fotos de flores, de animais e mais motivos, que me pareçam de inteesse, para mim e para o Ventor. E, claro, esperarei que também vão agradando a alguns dos nossos amigos.
*******************************************************
Os Blogs do velho Quico
A Arrelia do Quico - O blog que o Quico dedicou aos seus amigos e denuncou o mundo todas as suas arrelias, originadas neles.
Os Amigos do Quico - Este é o blog que o Quico dedicou, especialmente, aos seus amigos. Aqueles que ele chamou "os filhos do Sol".
Fotoblog do Quico - neste blog o Quico colocava as fotos dos seus amigos que o Ventor trazia para casa.
Ventor em África - Por qui, o Quico colocou muitas das histórias que o Ventor lhe contava das suas caminhadas africanas. Vivendo as Memórias foi o que o Ventor fez com o Quico, recordando vinte e seis meses pelo Continente Negro.
O Ventor e o Passado - Foi a caminhada de todas as caminhadas. Dizia o Quico para o Ventor: "se tu caminhavas tanto, se perdes tantas horas de dia e de noite, com geografias e histórias que os humanos levaram à morte de milhões daqueles que constituem a sua própria espécie, só nos os dois, para nós e para o mundo, vamos com toda a calma, chamar-lhe a Grande Caminhada.
******************************************************
Os Blogs do Ventor
Adrão e o Ventor - Adrão é o berço do Ventor. Foi lá que ele nasceu e viveu os primeiros 15 anos da sua vida. É o blog onde o Ventor fala de si e da sua gente e dos seus lugares de sonhos.
Os Trilhos da Memória - Sempre que o Ventor ia fazer uma caminhada, quando chegava, sentava-se escrevia e falava de tudo ao Quico.
Flores da Vida - As flores que têm acompanhado o Ventor nos últimos anos. O Ventor chamou-lhes, inicialmente, Flores de Inverno porque era Inverno quando o Ventor recomeçou a admirar as flores.
Planeta Azul - Este é o Blog que o Ventor dedica aos temas do nosso Planeta Azul. Uma beleza na nossa Esfera.
Páginas Brancas - Um blog que o Ventor dedicou à classe dos sujos - os políticos!
Rádio Ventor - Este é o blog que o Ventor dedica às músicas para a sua Rádio. O Ventor e o Quico gostavam de música, mas a mim, entra-me por um ouvido e sai-me pelo outro!
Montanhas Lindas - Um dia o Ventor caminhou pelas suas montanhas e chegou à conclusão que, por tudo que já tinha visto, as suas montanhas já eram as mais lindas de todas.
Fotoblog do Ventor - É um espaço onde o Ventor achou por bem, colocar algumas das suas belezas.
Fotoblog de Flores - Neste espaço, o Ventor disse que iria colocando e falando de flores que encontrasse pelas suas caminhadas.
****************************************************************
mais sobre mim
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
28
29

30


subscrever feeds
blogs SAPO

 
________________________________________________________

Foto de fundo neste Blog: o dragão chinês